Pontos individuais

Geral

Que Preto é esse oh Cambinda

Que chegou agora

É o Pai (dar o nome) oh Cambinda

Que veio de Angola

Pai Joaquim

1.

Pai Joaquim, cadê Pai José

Foi na mata apanhar guiné

Diga a ele prá quando vier

Que suba a escada, não bata o pé

2.

Pai Joaquim, ê, ê

Pai Joaquim, ê, a

Pai Joaquim, ê, ê

Pai Joaquim, ê, a

Pai Joaquim veio de Angola

Pai Joaquim veio de Angola, Angolá

3.

Pai Joaquim vem de Aruanda

Vem descendo

Noite escura

No meio da tempestade

Prá sarvá fio de umbanda

Prá sarvá fio de umbanda

Prá sarvá fio de fé…

Ê!… Ê!…

Rei Congo

1.

Sou Rei do Congo

Sou rei da magia

Minha terra é muito longe

Meu congá é na Bahia

2.

Congo, rei Congo

Congo chegou

Congo é maravilha

No terreiro trabalhou.

Pai Antônio

1.

Oi, dai-me forças, Jesus de Nazaré

Oi, dai-me forças pra mim vir trabalhar

Dizem que a umbanda tem mironga

Tem mironga, Pai Antônio tem congá

2.

Tira o cipó do caminho, criança

Deixa o vovô passar

Pai Antônio que vem de Angola

Para trabalhar

3.

Dá licença Pai Antônio

Que eu não vim lhe visitar

Eu estou muito doente

Vim pra me curar

Se a doença for feitiço

Tirará em seu congá

Se a doença for de Deus

Pai Antônio vai curar

Coitado de Pai Antônio

Preto Velho curador

Foi parar na detenção

Por não ter um defensor

Pai Antônio é quimbanda, é curandô

Pai Antônio é quimbanda, é curandô

É pai de mesa, é curandô

É pai de mesa, é curandô

Pai Antônio é quimbanda, é curandô

Pai Antônio é quimbanda, é curando

4.

No terreiro de Pai Antônio

Eu vou girar, eu vou girar

Quem chamar por Pai Antônio

Ele vem sarava, ele vem ajudar

5.

Curimba com eu

Meu Pai Antônio

Curimba com eu

Na fé de Deus

Curimba com eu

Nesse congá de Deus

Vovó Catarina

1.

Saravá pra Vovó Catarina

Que é dona da gira no meu terreiro

Saravá pra Vovó Catarina

E pra todas as almas do cativeiro

A Vovó Catarina é do Congo, é

A Vovó Catarina é quem faz chá

Pra Vovó Catarina

É quem os filhos de Umbanda

Vão saravar

2.

Vovó Catarina ê, ê

Vovó Catarina ê, á

Vovó Catarina vem de Angola

Vovó Catarina ê, á

3.

Vovó Catarina que tem poder

Tem na Umbanda muito haver

Ela vem da Aruanda

Com a fé de Oxalá

Traz arruda e guiné

Pra rezar filhos de fé

4.

Vovó Catarina ê, ê >

Vovó Catarina é de Angola >

Vovó Catarina vem de longe

Vovó Catarina ê, á

Trazendo sua matula

Ela vem cortando o mal

Traz vela, pemba e fundango

Agulha, linha e dedal

Vovó Catarina… >2x

Risca ponto no terreiro

Prá valer filho de Umbanda

Canta sua marafunda

A preta velha tem mironga

Vovó Cambinda

Vovó Cambinda

Cambinda mamãnhê >

Cambinda mamanhá >2x

Segura Cambinda >

Que eu quero ver >

Filho de pemba não tem querer >2x

Vô Expedito

1.

Lá no cruzeiro das almas

Eu vi um preto velho rezar

Lá no cruzeiro das almas

Eu vi um preto velho rezar

Numa mão trazia a pemba

Na outra seu patuá

Numa mão trazia a pemba

Na outra seu patuá

Lá no cruzeiro das almas

Eu vi um preto velho rezar

Lá no cruzeiro das almas

Eu vi um preto velho rezar

Na mão trazia sua pemba

Na outra seu patuá

Mas era Vô Expedito D’Angola

Que vem de longe pra rezar seu patuá 

Mas era Vô Expedito D’Angola

Que vem de longe pra rezar seu patuá

2.

Quem é aquele velhinho

que vem no caminho, andando devagar

Com seu cachimbo na boca

puxando fumaça, soltando pro ar

Ele é do cativeiro

Ele é Vô Expedito

Ele é mirongueiro

Pai Joaquim de Angola

Que preto é esse, ô Calunga?

Que chegou agora, ô Calunga?

É Pai Joaquim, ô Calunga

Que veio da Angola, Calunga

Pai João

Pai João, Pai João

Preto-velho da Bahia!

Pai João, Pai João

Preto-velho da Bahia!

Caminhou para os pés de Oxalá

Toda a noite e todo o dia.

Caminhou para os pés de Oxalá

Toda a noite e todo o dia.

Mas como ele caminhou, meu Deus

Pra saravá os filhos seus!

Mas como ele caminhou, meu Deus

Pra saravá os filhos seus!