Vídeos

Morre bisneto do fundador da umbanda, vítima de Covid-19

0

Segundo publicação no Facebook da Tenda Espírita Nossa Senhora da Piedade (primeiro terreiro de umbanda do Brasil), Marcelo Cunha faleceu na madrugada de 07 de julho de 2020, vítima de covid-19. Marcelo era bisneto de Zélio Fernandino do Morais, tido como fundador da umbanda, filho de Lygia Maria Marinho da Cunha e irmão de Leonardo Cunha, atual dirigente da TENSP. Marcelo era um dos braços direitos de seu irmão na direção do terreiro.

Leia abaixo a mensagem publicada pela TENSP:

“Queridos irmãos umbandistas, temos uma notícia profundamente triste.
Nosso irmão, Marcelo Cunha, bisneto de Zélio de Moraes, faleceu nesta madrugada, vítima da COVID-19.

Como médico, atuou intensamente para tratar outras vítimas, sempre levando a guia de Tiana consigo.

Foram dias melhorando e outros piorando, trazendo esperança de superação, mas as infecções sucessivas minaram sua resistência.

Ontem, nas orações que diariamente fizemos por ele, foi visto envolto em uma intensa luz azul, que designa a presença do Chefe, o Caboclo das Sete Encruzilhadas.

Certamente foi levado de nós sob os cuidados dele. A esta hora já está no hospital de Aruanda, cuidado por Tiana e Pai Antônio e na companhia de sua avó Zilmea.

Os familiares próximos, sua mãe Lygia, seu irmão Leonardo e a esposa Victória estão tristes, mas resignados.

Neste momento pedimos que os poupem de contatos para que tenham serenidade.”

Nossos pêsames e sentimentos à família. Temos certeza de que Marcelo já está sendo amparado no plano espiritual.

Que esse fato também sirva de lembrete a todos os umbandistas, especialmente aos chefes de terreiro, da importância da quarentena e de todas as medidas de prevenção. Independentemente da fé e da força espiritual de cada um, é o momento de manter as portas fechadas e aguardar o momento em que for realmente seguro reabrir os trabalhos. Sejamos conscientes e responsáveis, dando prioridade sempre a preservar e salvar vidas.

Terreiro é alvo de intolerância religiosa e vandalizado no Paraná

Previous article

“Historinhas de Axé” promove contato das crianças com as religiões de matriz africana

Next article

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *