Aprenda pontos cantados de Ogum para chamada, louvação, firmeza, descarrego e subida. Ogunhê! Patakori, Ogum!

Quem é Ogum

Ogum é o orixá das guerras, da agricultura, da caça, da metalurgia e da tecnologia. É o grande orixá sem o qual não existiria a civilização. Seu dia da semana é a terça-feira. Na umbanda, sua cor é o vermelho. No candomblé, suas cores são o verde e o azul escuro. Seu metal é o ferro. É simbolizado pela espada, pela bigorna, faca, pá, enxada e outras ferramentas.

Chamada de Ogum

01.

Pisa na linha de umbanda que eu quero ver

Ogum Sete Ondas

Pisa na linha de umbanda que eu quero ver

Ogum Beira Mar

Pisa na linha de umbanda que eu quero ver

Ogum Iara, Ogum Megê

Ogum Iara, Ogum Megê

Seu cangira de umbanda, auê!

Olha, pisa no reino, ô cangira

Olha, pisa no reino, ô cangira

Olha, pisa no reino, ô cangira

Tata de umbanda, ô cangira

02.

Salve Ogum Iara

Ogum Matinata

Ogum Rompe Mato

Ogum Megê

(bis)

Eles trabalham na terra meu Pai

Eles trabalham no mar

Eles trabalham na areia meu Pai

Salve Ogum Beira Mar

03.

Ogum Oyá, Ogum Oyá é de menê

Ogum Oyá, Ogum Oyá é de menê

Ogum Oyá é de menê, patakori é de menê

Ogum Oyá é de menê, patakori é de menê

04.

Olha, Ogum está de ronda

Miguel está chamando

Eu não sei aonde é é é

Oi, me diz aonde é é é

Oi, pombinha de fé é é é

Oi, me diz aonde é, é, é

Louvação a Ogum

1. 

Ogum de Aruanda

É Tata de Umbanda

E está de ronda

Pra seus filhos cuidar

Cuidar, cuidar

Pra seus filhos cuidar

Ogunhê!

Cuidar, cuidar

Pra seus filhos cuidar

Ogunhê!

(Obs: ponto composto por Gabriel Meissner)

2.

Nesta casa de guerreiro, Ogum,

Vim de longe pra rezar, Ogum,

Rogo a Deus pelos doentes, Ogum,

Na fé de Pai Oxalá, Ogum,

Ó Deus salve a casa Santa, Ogum,

Os presente e os ausentes, Ogum,

Salve nossas esperanças, Ogum,

Salve velhos e crianças, Ogum,

Preto Velho ensinou, Ogum,

Na cartilha de aruanda, Ogum,

E Ogum não esqueceu, Ogum,

Como vencer a demanda, Ogum,

A tristeza foi embora, Ogum,

Na espada de um guerreiro, Ogum,

E a luz do romper da aurora, Ogum,

Vai brilhar neste terreiro, Ogum.

3.

Ogum, que abalou as estrelas

Que abalou as areias

E as ondas do mar, Ogum

Ogum, a hora é boa

Abre os meus caminhos

Firma esse congá, Ogum

4.

Senhor Ogum

Toma conta de mim

Não me deixe sofrer,

Tanto assim, meu Pai

Quando eu morrer,

Vou passar lá na Aruanda,

Para ver Ogum,

Saravar filhos de Umbanda

05.

Filho de pemba bebe água no rochedo

Filho de Ogum corre campo

E não tem medo

Eu vou pedir ao Criador

Que derrame o seu amor

Aos nossos guias e ao nosso Babalaô

06.

Por entre matas, por entre mares e terras

Eu entendi o que meu Pai quis dizer

Que Ogum não devia beber

Que Ogum não devia fumar

Mas a fumaça são as nuvens que passam

E a espuma, as ondas do mar

07.

Quem está de ronda é São Jorge

Deixa São Jorge rondar

São Jorge é guerreiro

Que manda na terra e que manda no mar

Saravá meu pai. Saravá meu pai

Girar é bom, girar é bom, girar é bom, é bom girar

08.

Ogum venceu a guerra

Ogum é ordenança de Oxalá

Quando Ogum vem de Aruanda

Ele vem na Umbanda

Pra seus filhos abençoar

Saravá Ogum Megê

Saravá Ogum Sete Ondas

Saravá Ogum Iara

Saravá Seu Beira-Mar

09.

Ogum, guerreiro de umbanda

Seu ponto veio afirmar

Ele pede ao sol e à lua, ô paranga

para lhe ajudar

10.

Se a sua coroa de ouro é mariô

Se a sua coroa de ouro é mariô

Ogum é táta, é táta

A sua coroa de ouro é mariô

Ogum Akuan

Ogum chamou das matas

Akuan pra trabalhar

Sua lança e sua flecha

São armas deste Congá

É vencedor de demanda

E seus filhos vem salvar

É guerreiro, é valente

Vamos todos saravar.

Ogum Beira Mar

01.

Beira Mar auê Beira Mar

Beira Mar quem está de ronda é militar

Ogum já jurou bandeira

Na ponta do Humaitá

Ogum já venceu demanda

Vamos todos saravá

02.

Seu Ogum Beira Mar

O que trouxe do mar ?

(bis)

Quando ele vem

Beirando areia

Vem trazendo no braço direito

O rosário de Mamãe Sereia

03.

Beira Mar, auê Beira Mar (bis)

Desmancha mironga no fundo do mar (bis)

A sua espada, meu Pai, eu quero ver

A sua lança meu Pai, Ogun Megê

A sua espada, meu Pai, eu quero ver

A sua lança meu Pai, Ogun Dilê

04.

Beira Mar, auê Beira Mar >

Ogum já jurou bandeira

Nas matas do Humaitá

Ogum já venceu demanda

Vamos todos saravá

Beira Mar, auê Beira Mar >

Eu estava na minha gira

Eu estava no meu Congá

Eu estava na minha gira

Vamos todos saravá

Beira Mar, auê Beira Mar

05.

Auê, auê Ogum Beira Mar, auê

Iansã virou o tempo

Pra Ogum não governar

Mas durante o barravento

Oxum se pôs a cantar

06.

Meu Pai, que guerreiro é esse

Que vence na terra

Que vence no mar

Ele é lanceiro, ele é flecheiro

Ele é marinheiro, ele é de Iemanjá

Salve esse guerreiro

Saravá Seu Ogum Beira Mar

Ogum Beira Rio

Beira Rio, Beira Rio, Beira Mar,

O que se ganha de Ogum,

Só Ogum pode tirar,

Seu Ogum de Ronda,

É quem vai girar,

E vem trazendo folhas,

Pra descarregar.

Ogum Iara

Se meu Pai é Ogum

Vencedor de demanda

Ele vem de Aruanda

Pra salvar filhos de Umbanda

Ogum, Ogum Iara

Salve os campos de batalha

Salve a Sereia do Mar

Ogum, Ogum Iara

Ogum Malê

01.

Ogum de Malei

Ogum bravo orixá

Ogum de Nagô

Ogum de Iemanjá

Ogum Matinata

Que cavaleiro é aquele

Que vem cavalgando pelo céu azul

É seu Ogum Matinata

Ele é defensor do Cruzeiro do Sul

Com a espada na cinta

Escudo no braço ele vem cavalgando

É Ogum Matinata

Ele é o defensor do Cruzeiro do Sul

Ogum Megê

01.

O seu cavalo corre sem ninguém ver

O seu cavalo corre sem ninguém ver

Salve as sete espadas de Ogum Megê

Salve as sete espadas de Ogum Megê

02.

Ogum Megê, general de Umbanda

Com seu cavalo Seu Ogum foi guerrear

Com sua espada, com sua lança

Venceu demanda nos campos de Humaitá

Ogum Megê

03.

Oxóssi assobiou

Pra passar no Humaitá

Pra falar com Ogum Megê

Mensageiro de Oxalá

04.

Não bota fogo que é de Oxalá

Não quebre a pedra que é de Xangô

Não facilite com filho de pemba

Ogum Megê sempre foi vencedor

05.

Lá vem Ogum em seu cavalo

Com sua espada e sua lança na mão

A mata é vossa, deixa correr

E vamos saravar Ogum Megê

06.

O homem que bebe e fuma ô Ganga

É Ogum Megê ô Ganga

Xerê, xerê, xerê ô Ganga

É Ogum Megê ô Ganga

Ogum Nagô

Ogum é todo Malé

Male ô linha Nagô

Ogum é todo Malé

Male ô linha ô

Ogum Naruê

01.

Olha Ogum Naruê chegou

Olha Ogum Naruê baixou

Sou filho de Umbanda

Ogum já me saravou

02.

Magia, magia que faz o

meu corpo tremer

Magia, magia que chega em silêncio

Sem a gente ver

É o Senhor Ogum

É o rei da magia que vem

Nos socorrer

É o senhor Ogum

Quem vence a magia é

Ogun Naruê

Ogunhê

03.

Ei gente de Umbanda

Sopra o vento no mar

Baixou Ogum Naruê

Chegou a falange dos filhos de Umbanda

Baixou Ogum Naruê

Ogum Rompe Mato

01.

Ogum disse que ele é Rompe Mato

É Rompe Mato auê, ele é Rompe Mato

Porque rompe as matas auê

É Rompe Mato auê, saravá Ogum Rompe Mato

02.

Ogum Iara, Ogum Megê

Olha, Ogum Rompe Mato, auê!

Ogum Iara, Ogum Megê

Oi, cangira de umbanda, auê!

Capitão-do-mato mandou me chamar

Tempo não tenho, caminhos há

Olha o militar, quem está de ronda é militar!

Ogum de Ronda

Um cavaleiro na porta bateu

Passei a mão na pemba para ver quem é

Era seu Ogum de Ronda, minha gente

Cavaleiro da força e da fé

Ogum Sete Espadas

Eu tenho Sete Espadas pra me defender |

Eu tenho Ogum em minha companhia >

Mas Ogum é meu Pai, Ogum é meu guia

Ogum vai baixar

Na fé de Zambi e da Virgem Maria

Ogum Sete Estrelas

Eh cavaleiro de Umbanda

Ogum vencedor de demanda

Salve os filhos de mamãe sereia

Seu Ogum Sete Estrelas

Ilumina meu congá.

Ogum Sete Ondas

Sete Ondas na Terra

Sete Ondas no mar

Sete Ondas na umbanda

Sete Ondas no congá

Segura a pemba ê, ê

Segura a pemba ê, á

Segura a pemba

Deixa as ondas navegar

Ogum Timbiri

De quando em quando

Quando eu venho de Aruanda.

Trazendo a umbanda pra salvar filhos de fé

Ô Marinheiro, olha a costa do mar.

Ô Japonês, ô Japonês,

Olha a costa do mar.

Ô Marinheiro olha a costa do mar.

Ô Japonês, ô Japonês,

Olha a costa do mar.

Ogum, Ogum, Ogum é de Timbiri

Olha a costa do Mar

Que é do Oriente

Ogum Tucuruvu

Aí vem Tucuruvu

Ele é filho das selvas das linhas de Ogum

Chegou Tucuruvu

Ele é filho das selvas das linhas de Ogum

É Ogum de Cariri

Ponto de demanda

01.

Tem cangerê, tem cangerê na terra

Eu chamo Seu Ogum para me ajudar

Os inimigos estão fazendo guerra

Eu chamo Seu Ogum para guerrear

Odé, odé, odé Ogum Rompe Mato

Beira-Mar, Ogum Megê

Salve Ogum na força e na lei

Salve Ogum de Ronda, Sete Ondas e Naruê

02.

Ele é o homem que corta a mironga

Ele é Ogum, vencedor de demanda

Na sua gira ele tem 7 falanges

Ele é meu pai

Ele é general de umbanda

03.

Ogum é homem que foi pra guerra

Se mete com ele que eu quero ver

Ogum é homem que foi pra guerra

Se mete com ele que eu quero ver

É um Tata, é um Tata, é um Tata

Se mete com ele que eu quero ver

Subida de Ogum

1.

Ogum já venceu, já venceu, já venceu

Ogum já venceu, agora quem manda é Deus!

2.

Selei, selei

Seu cavalo eu selei

Selei, selei

Seu cavalo eu selei

Pai Ogun já vai embora

Seu cavalo eu selei

3.

Ogum já me Saravou…ohooo…

Ogum já me abençoou >

Filhos de Pemba, a Umbanda chora

É o Seu Ogum que já vai embora

A Umbanda gira, gira, gira, girê

A Umbanda gira, gira, gira, girá


Gostou destes pontos cantados de Ogum? Se conhecer outros para incluir aqui, envie uma mensagem para a gente.