Paramentas e vestimentas dos orixás no candomblé

0

No candomblé, é comum vestir os orixás incorporados com roupas e paramentas simbólicas que explicam as características e histórias de cada um dessas divindades. Aqui explicamos algumas delas.

Abebê

Abebê de OxumAbebê é um leque de metal em forma circular, com guizos, usado pelas Iabás (orixás femininos) Oxum e Iemanjá.

Quando feito de latão, pertence a Oxum. Quando pintado de branco e com uma sereia gravada no centro, a Iemanjá.

Etimologia

Do iorubá, abébè.

Adê

Adê de OxumSegundo Nei Lopes: “Espécie de coroa que compõe a vestimenta de diversos orixás, especialmente os de natureza feminina”.

Agadá

Espada simbólica do orixá Ogum.

Etimologia

Do iorubá, agada.

Amparo

Chicote de Ibualamo e Logun-Edé.

Etimologia

Do iorubá, aparun, “chibata”.

Bilalá

Bilalá é o chicote do ori Ibualamo, feito de tiras de couro trançadas.

Etimologia

Do iorubá, bílalà.

Eruexim

Rabo de cavalo, espécie de espanador usado por Iansã.

Iruquerê

Segundo Câmara Cascudo, Iruquerê é um objeto ritual feito a partir da cauda de um boi com um cabo de osso ou madeira, enfeitado de relevos. Pertence ao culto de Oxóssi.

iruquerêNa África, entre sudaneses e bantos, é uma insígnia de realeza, enxota-moscas ou objeto privativo do rei ou dos primeiros príncipes. Era de uso do Egito clássico.

Ofá

No candomblé, instrumento simbólico dos orixás Oxóssi e Ibualamo, consistindo num arco e flecha unidos em metal branco ou bronze.

Etimologia

Do iorubá, ọfà.

Referências

Dicionário de Folclore Brasileiro – Luís da Câmara Cascudo – Ediouro

Dicionário Michaelis

Enciclopédia Brasileira da Diáspora Africana – Nei Lopes – Selo Negro – Açabá

Dicionário Michaelis

Related verbetes

Toques de atabaque

Previous article

Cargos no culto de Egungum

Next article

Comments