Mãe Aninha

0

Nome pelo qual foi conhecida Eugênia Anna dos Santos (Oba Biyi), filha de africanos e famosa ialorixá baiana de candomblé Ketu, que viveu entre 1869 e 1938, em Salvador.

Foi uma mulher influente que buscou fortalecer o culto e garantir condições para o seu livre exercício. Por intermédio de Osvaldo Aranha (seu filho de santo), conseguiu a promulgação do decreto presidencial n. 1202, do primeiro governo de Getúlio Vargas, o que pôs fim à proibição aos cultos afro-brasileiros em 1934.

Iniciou-se no candomblé no tradicional terreiro do Engenho Velho e depois fundou os dois Ilês Axé Opô Afonjá, um na Bahia e outro no Rio de Janeiro. Instituiu ainda o corpo de obás, ou doze ministros de Xangô, do Axé Opô Afonjá, cargo para os quais são escolhidas pessoas de grande prestígio social, o que contribuiu para tirar o estigma das religiões afro-brasileiras. Em 1936, foi uma das principais apoiadoras do Segundo Congresso Afro-Brasileiro, realizado em Salvador.

Após seu falecimento, foi sucedida em seu ilê por Mãe Bada de Oxalá e, posteriormente, por Maria Bibiana do Espírito Santo, Oxum Muiuá, a conhecida Mãe Senhora de Oxum.

Referências

Enciclopédia Brasileira da Diáspora Africana – Nei Lopes – Selo Negro – Açabá

Fundação Cultural Palmares (site)

Related verbetes

Pontos riscados

Previous article

Assistência

Next article

Comments