Aprenda pontos cantados de Xangô para chamada, louvação, firmeza, descarrego e subida. Kaô, Kabiecile!

Quem é Xangô

Orixá da justiça, do trovão e das tempestades e um grande guerreiro. Seu dia da semana é a quarta-feira. Na umbanda, sua cor é o marrom. No candomblé, o vermelho. Seus metais são o cobre, o ouro e o chumbo. É simbolizada pelo machado duplo e pela pedra de raio.

1. 

Pedra rolou, pai Xangô

Lá na pedreira

Afirma o ponto, meu pai

Na cachoeira

Tenho o meu corpo fechado

Xangô é meu protetor

Afirma ponto, meus filhos

Pai de cabeça chegou

2.

Segura a pedra, Xangô

Não deixa a pedra rolar

Pega no livro e na pena

Para a justiça firmar

3.

Na pedreira da mata virgem

Aonde mora meu Pai Xangô

Água minou, Nanã Buruquê

Pedra rolou, sarava, Pai Xangô

Ê, ê, ê

Ê, ê, á

Se ele é filho de fé

Bate a cabeça lá no conga!

4.

Quenguelê, quenguelê, Xangô

Ele Gino da Cobra Coral

Olha preto está trabalhando

Olha branco não está olhando

5.

Ô, Gino olha a sua banda

Ô, Gino olha o seu gongá

Aonde o rouxinol cantava

Na pedra onde Xangô morava

Ele é Gino da Cobra Coral

Ele é Gino da Cobra Coral

Ele é Gino da Cobra Coral, Kaô!

6.

Xangô meu Pai, deixa essa pedreira aí

Xangô meu Pai, deixa essa pedreira aí

Umbanda tá lhe chamando

Deixa essa pedreira aí

7.

Por detrás daquela serra

Tem uma linda cachoeira

(bis)

É onde mora o meu Pai Xangô

Que arrebentou sete pedreiras

8. 

Xangô é dono da pedreira

Segura o meu destino até o fim

(bis)

Se algum dia eu perder

A fé no meu Senhor

Rola essa pedreira sobre mim

9. 

Bate, bate pra Xangô!

Bate, bate pra Xangô!

Xangô é o Rei da Justiça,

Xangô é o Rei da Pedreira,

Xangô batizou os seus filhos,

Com a água da cachoeira.

10. 

Xangô Kaô,

Deixa essa pedreira aí,

A umbanda está lhe chamando,

Deixa essa pedreira aí.

No alto da pedreira está Xangô,

Senhor do meu destino até o fim,

Se um dia eu perder,

A fé que Deus me deu,

Que role a esta pedreira,

Sobre mim

11. 

É Xangô o rei de lá da pedreira >

É Oxum, rainha da cachoeira >

Xangô é rei, Xangô é rei Orixá

Escreve lei pros filhos de Oxalá

12. 

Xangô é corisco

Nasceu na trovoada

Trabalha na pedreira

Acorda na madrugada

Longe, tão longe

Aonde o sol raiou

Saravá, Umbanda

Oi, saravá Xangô

13. 

Deixei meu filho em cima da pedreira

E de repente ele escorregou

Me ajoelhei e olhei pra baixo

Estava nos braços de meu pai Xangô

14. 

Meu pai Xangô

Deixa essa pedreira aí

A Umbanda está lhe chamando

Deixa essa pedreira aí

15. 

Ele vem de Aruanda

Ele vem trabalhar

Ele vence demanda

Ele é seu Pangará

Kaô, kaô, kaô, kaô

A justiça chegou, Xangô

Ele vem de Aruanda

Ele vem trabalhar

Ele vence demanda

Ele é seu Arirá

Kaô, kaô, kaô, kaô

A justiça chegou, Xangô

16. 

Quebra pedra na pedreira

Quero ver arrebentar

Quem demanda com meus filhos

Eu também sei demandar

17. 

É na mesa de Umbanda

Que Xangô faz refeição

Xangô vem cuspindo fogo

Pra levantar filhos do chão

18. 

Na pedreira da mata virgem

Aonde mora meu Pai Xangô

Água minou, Nanã Buruquê |

Pedra rolou, saravá Pai Xangô

19. 

Cachoeira da mata virgem

Onde mora meu pai Xangô

Pedra rolou da cachoeira

Pedra rolou, saravá pai Xangô

Saravá, pai Xangô

20.

Quem rola pedra na pedreira

É Xangô

Quem rola pedra na pedreira

É Xangô

Virou na coroa de Zambi

Virou na coroa de Zambi

Virou na coroa de Zambi

É Xangô

21.

Meu pai São João Batista

Ele é Xangô, é meu protetor

É dono do meu destino até o fim

O dia que a fé

Me faltar no meu senhor

Que role essa pedreira sobre o mim

O dia que a fé

Me faltar no meu senhor

Que role essa pedreira sobre o mim


Gostou destes pontos cantados de Xangô? Se conhecer outros para incluir aqui, envie uma mensagem para a gente.