Pontos de demanda

1.

Olêlê, meu Deus do céu, que alegria

O Preto-Velho não carrega soberbia

Meu Deus isso aqui eu preferia

A estrela Dalva no romper do meio-dia

Eu vou plantar nesse quintal pé de pinheiro

Para mostrar como se quebra macumbeiro

Olêlê, meu Deus do céu, que alegria

O Preto-Velho não carrega soberbia…

Pega o penacho bota abaixo na campanha|

Nesse terreiro galo velho não apanha

2.

Tem mironga no congueiro

Tem mironga no congá

Quem não pode com a mandinga

Não carrega patuá

3.

Vovó não quer

Casca de coco no terreiro

Que é pra não lembrar

Dos tempos do cativeiro

4.

Preto Velho que coisa é essa

Que me deixa o corpo mole

É mironga de terreiro,

Preto Velho vai tirar

Vai fazer reza bem forte

Pra mandinga afastar

Preto Velho que coisa é essa

Que me deixa o corpo mole

Parece que é coisa feita,

Preto Velho vai tirar

Mas não fique assustado

Deste mal vou lhe livrar

E depois você vai embora,

Vai pra casa descansar

E depois que passar o tempo,

Volte aqui me visitar

5.

Com dendê, com dendê

Preto-velho trabalha com dendê

Agora que eu quero ver

Preto-velho trabalha com dendê

6.

Ô Preta Velha você não me engana

Amarra a saia com palha de cana

E o cigarro que ela fuma é de palha de Aruanda

E o marafo que ela bebe

Vai vencer toda a demanda

7.

Na linha de pretos-velhos

Ninguém pode atravessar (bis)

Oi, segura a pemba, ê ê

Oi, segura a pemba, ê á

Oi, segura a pemba, ê ê

Oi, segura a pemba no congá (bis)